AGIR

AGIR canta 'Flor Sem Tempo' e 'E Depois do Adeus' numa emocionante homenagem ao pai, Paulo de Carvalho

Aconteceu no passado sábado, 27 de Fevereiro: AGIR cantou dois dos maiores clássicos de todos os tempos da música portuguesa, Flor Sem Tempo” e “E Depois do Adeus” numa homenagem ao pai, Paulo de Carvalho, que o deixou emocionado e a todos os que assistiam à transmissão em directo da segunda eliminatória do Festival da Canção. A surpresa que a RTP preparou para Paulo de Carvalho, um dos jurados da edição de 2021 do evento que anualmente elege um representante de Portugal na Eurovisão, permitiu a muitos recordar e a tantos outros descobrir duas das canções mais emblemáticas do Festival da Canção, que se tornaram referências maiores do cancioneiro pop nacional.

“Flor Sem Tempo” conquistou o terceiro lugar do então VIII Grande Prémio TV da Canção Portuguesa 1971, com letra de José A. Sottomayor e música de José Calvário, o mesmo compositor de E Depois do Adeus” que, com letra de José Niza, venceu a 12ª edição do Festival RTP da Canção e serviu de primeira senha à revolução do 25 de Abril, consagrando  Paulo de Carvalho como um artista de excepção e um dos ícones da luta pela democracia em Portugal.

Veja ou recorde a emocionante interpretação de AGIR aqui. 

Recorde-se que em 2017 AGIR trabalhou com o pai na produção do álbum “Duetos”, uma celebração dos 70 anos de vida e 55 de carreira de Paulo de Carvalho, que atingiu a marca de Disco de Ouro.

Com 3 álbuns de originais em nome próprio, o primeiro, homónimo, o segundo Leva-me a sério” e o último No FameAGIR é um dos mais reputados artistas da sua geração, sendo presença constante nas playlists da rádios com os seus temas a solo e diversas colaborações com alguns dos maiores nomes da música nacional como Ana Moura, Carolina Deslandes, Diogo Piçarra, Karetus, Papillon ou 9 MILLER. No seu percurso contam-se várias conquistas, entre as quais três Coliseus esgotados, o prémio Best Portuguese Act” nos MTV EMA 2015, o Globo de Ouro de Melhor Intérprete Individual” ou  o galardão de disco de Platina pelo álbum Leva-me A Sério”.

Quando a pandemia eclodiu preparava o lançamento do seu novo e quarto álbum de originais, que decidiu guardar para uma fase menos conturbada, tendo então lançado  Alma”, uma canção escrita como um contributo para ajudar as pessoas a vencerem a solidão, numa altura em que as perturbações mentais dispararam ou se agravaram, devido ao confinamento, à degradação das condições económicas, à incerteza quanto ao futuro e a tantas outras causas individuais, tendo entregue 100% do lucro dos plays à Associação SOS Voz Amiga.

Com o fim do estado de emergência à vista, AGIR pondera agora reavaliar a melhor data para partilhar com o público as canções do seu novo disco, prometendo novidades para breve.

 


01 Março 2021
Partilhar:

Newsletter

Receba as nossas novidades